Há algo de estranho no lançamento de Minecraft para Xbox 360. Talvez porque ninguém saiba, realmente, quantas unidades foram vendidas desde o “lançamento que bateu recordes”. Ou talvez porque só depois de comprar o jogo você descobre que é necessário ter uma TV de alta definição para jogar o multiplayer co-op local, o grande atrativo da versão console. 

Tudo apontava para um lançamento sem emoções do jogo – com exceção dos números de venda, já que Minecraft passou de 5 milhões de unidades vendidas para PC, e a expectativa para a versão de console era bem grande. Mas agora já temos usuários reclamando, Microsoft tentando se explicar e Notch, criador de Minecraft, falando o que pode pelo Twitter.

Aos recordes

Em uma nota à imprensa, a Microsoft afirmou que “Minecraft: Xbox 360 Edition quebrou todos os recordes de vendas digitais, vendendo mais do que qualquer outro jogo em 24 horas na Xbox LIVE Arcade”. Logo depois, Markus Notch não só afirmou que as vendas pagaram o custo de produção em 24 horas, como também disse que só pode fazer essa estimativa através do número de pessoas que participam dos leaderboards do jogo – o que significa que, aproximadamente, 400 mil pessoas compraram Minecraft em um dia (ele é vendido por 1.600 MS Points).

Intrigados, os caras da Polytron, a equipe responsável por Fez, respondeu que eles também estavam estimando as vendas do seu game, lançado há um mês, através dos números de multiplayer. “É ridículo sermos obrigados a conseguir [os dados de vendas] dessa forma”, eles responderam no Twitter.

A troca de tuítes mostra a filosofia comum de uma grande publisher como a Microsoft. Contatada várias vezes, ela diz que não divulgará os números exatos; sem eles, todo esse recorde que Minecraft bateu não passam de uma especulação de marketing. Podemos concordar que essa não é exatamente a estratégia ideal quando se trata de um jogo indie.

Seu dinheiro de volta?

Mas então você comprou o jogo, ajudou nesse suposto recorde, e só depois teve a infelicidade de descobrir que só poderia desfrutar do multiplayer cooperativo local se sua TV/monitor fosse de alta definição. Isso porque a tela de venda do jogo no Marketplace não avisa sobre esse pequeno detalhe.

O multiplayer split-screen é o elemento mais interessante dessa nova versão para console, já que no PC não existe esse modo de jogo. Para muitos fãs não muito afortunados, o grande atrativo acabou se tornando uma grande frustração. O resultado é que agora essas pessoas estão pedindo o dinheiro de volta. O leitor do Kotaku US Andrew King disse que o jogador não é informado durante a compra de que precisa de uma TV em HD para rodar o co-op local. “Em nenhum momento me disseram que eu precisaria de qualquer coisa para jogar o multiplayer a não ser o meu console e uns controles extras.”

Dessa vez, no entanto, a Microsoft respondeu que “no momento, alertas dentro do jogo avisam que é necessário uma HDTV para jogar o co-op”. O que é extremamente útil… mas só depois que você já comprou o game.

Se mais pessoas estiverem pensando da mesma maneira que Andrew, o número estimado de vendas deve cair, o que faz com que o recorde balbuciado pela Microsoft soe ainda mais pedante. Apesar de que o sucesso financeiro do “port” de Minecraft seja inevitável, o seu lançamento certamente foi marcado por uma estratégia de marketing imprecisa, que ainda deve gerar mais revoltas nos próximos dias.