Nesta quinta-feira (2), a Sony anunciou seus resultados financeiros mais recentes. A gigante dos eletrônicos está sangrando dinheiro.

A Sony está no vermelho pelo quarto ano seguido. A empresa deve publicar uma perda anual de US$ 2,9 bilhões em março, segundo a agência Reuters. É um prejuízo pior que o esperado.

A empresta está lutando contra vendas baixas e a alta do iene, que está sendo especialmente cruel. O grande terremoto de 2011 no Japão, assim como a inundação de fábricas na Tailândia, que atrasaram a produção de vários aparelhos, também prejudicaram o seu desempenho nas lojas.

Bem quando o ex-chefe da divisão de PlayStation, Kaz Hirai, se prepara para assumir como o CEO da empresa.

“Não vai ser fácil para a Sony retomar o terreno perdido sob essa nova liderança, uma vez que a sua competitividade se enfraqueceu fortemente”, disse Kim Young-chan, analista da Shinhan Investment Group, à Reuters.

“Ela tem problemas estruturais que vão levar anos para serem resolvidos. Não é só a Sony: outras empresas de tecnologia japonesas têm problemas parecidos. Elas não estão conseguindo inovar e criar produtos para liderar a indústria em praticamente nenhuma  das grandes áreas, de TV a monitores, tablets e smartphones”.

A Sony mantém sua previsão de vendas para televisões de LCD, mas diminuiu suas espectativas com relação ao PlayStation 3.

Segundo analistas, nos últimos anos a Sony não conseguiu inovar para liderar o mercado. Hirai vai ter que estabelecer uma visão forte para a empresa se ele quiser torná-la lucrativa de novo.

>> As perdas da Sony [Reuters, em inglês]